segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Mas tudo continua quente

“(...) e toda essa merda educada que as pessoas costumam dizer para colorir a indiferença quando o coração ficou inteiramente gelado.”
(Caio Fernando Abreu, “Os Sapatinhos Vermelhos”)

Sentimentos são grandes arapucas que não nos levam a nada-lugar-nenhum. Bom mesmo é bater no peito e seguir em frente. Machice. Pau. Nada de ser o que sou só porque assim me sinto bem. Só porque um dia li que a poeta se despedaçava e se sentia íntegra e serena. Cansei de me despedaçar. Cansei de juntar caquinhos. Cansei de acreditar desacreditando. Mas é tudo mentira. Juntar caquinhos é a minha especialidade. E o trabalho envolve tanta precisão que, após pouquíssimo tempo, nem parece que algo foi quebrado. Talvez olhando muito de perto as pessoas encontrem uma porção de rachaduras. Mas pouco importa. Afinal, quem se aproxima está (ou deveria estar) disposto a enxergar os detalhes.

Um comentário:

liloca disse...

Linda!!